segunda-feira, abril 30

CPR: Ricardo Moura vence Rali do Targa

Ricardo Moura e António Costa venceram o Rali do Targa/Vieira do Minho, prova de abertura do Campeonato de Portugal de Ralis, que deveria dar a organizadores e federação grandes motivos de preocupação.

No que toca á parte desportiva, Ivo Nogueira e Vitor Hugo surpreenderam na super especial de abertura, cotando-se como os mais rápidos com o Citroen DS3 R3, para nas primeiras três especiais da primeira secção ser Ricardo Moura a dominar.

O Campeão Nacional chegou ao fim da primeira secção com uma vintena de segundos de avanço para Pedro Peres, ampliando essa vantagem para a casa do meio minuto na quinta especial e a vitória parecia estar bem encaminhada para o açoreano.

Nada mais errado, pois o motor do Lancer de Moura ficou a trabalhar a três cilindros nas especiais seguintes, com Pedro Peres a aproximar-se perigosamente, ao ponto de reentrar na luta pela vitória.

Foi então que a prova chegou ao seu momento decisivo e infelizmente, coincidente com o pior momento do rali.
A chuva começou a cair com grande intensidade e o último dos carros de segurança já terá tido dificuldades em completar a especial, numa opinião partilhada por Ricardo Moura, que defendeu que a especial não estava em condições de ser disputada. O pior é que as condições pioraram drasticamente em pouquíssimos minutos e o granizo começou a cair com tal intensidade que os troços pareciam cobertos de neve. Rodando com slicks, alguns pilotos tiveram saídas de estrada e a situação precipitou-se.

Miguel Barbosa saiu de estrada com o seu Lancer e o Justino Reis (seu navegador), apressou-se em avisar os concorrentes da situação, com Ivo Nogueira a perder o controlo do seu DS3, acabando por embater em Justino Reis. O navegador foi transportado a uma unidade hospitalar, mas por aquilo que foi possível apurar na página oficial do piloto, tudo não passou de um grande susto.
Mas a situação neste último troço continuou com várias saídas de estrada, como foram os casos de Paulo Neto e ainda de Ricardo Marques, acabando por levar a organização a anular o troço…quando este já estava terminado!?

Desta forma, Ricardo Moura acabou por vencer a prova com três segundos de avanço para Pedro Peres, enquanto Juan Carchat completou o pódio com o Porsche

Renato Pita e Alberto Silva levaram o Renault Clio R3 ao quarto posto final, conseguindo assim a vitória no CPR2.

Destaque ainda para Vitor Pascoal e Luis Ramalho, que levaram o Mitsubishi Lancer Evo VII á vitória na Taça e Regional.

publicado por Ricardo Batista em Supermotores

Leia Mais

Turbo do Citroen DS3 WRC de Hirvonen não estava conforme

O Vodafone Rali de Portugal terminou com a desclassificação do vencedor, Mikko Hirvonen, em virtude duma ilegalidade detetada na embraiagem do Citroen DS3 WRC, mas a verdade é que se não tivesse sido a embraiagem... era o turbo, pois também esta peça, verificada na altura e posteriormente levada para análise mais detalhada, também foi considerada ilegal.

Aqui fica o texto integral da decisão dos Comissários Desportivos do Vodafone Rally de Portugal:

Com referência à decisão N. 8. Ponto 2 dos Comissários Desportivos do Rally de Portugal: Tendo recebido o relatório do Delegado Técnico da FIA com os resultados da inspeção posterior do turbo (turbina) e do instrumento de medida, e ainda tendo recebido o ponto de vista do construtor do turbo em relação ao seu processo de fabricação, os comissários decidem:

Confirmar a penalidade de exclusão do Carro n. 2 dos resultados do Rally Portugal, incluindo de todos os tempos das classificativas, por não conformidade técnica.

Para chegar a esta decisão, os comissários basearam-se no relatório do delegado técnico que identificou que o instrumento de teste estava de acordo com as medidas apresentadas e que a turbina do turbo excedia as dimensões especificadas e na carta do construtor do Turbo e das peças associadas, na qual foi identificado que cada peça é testada individualmente durante o processo de fabrico.

Os Comissários confirmaram que um carro concorrente tem de estar conforme os documentos de homologação e neste caso dois aspetos não correspondiam, o prato de embraiagem e a turbina do turbo.


Esta decisão, como se sabe, não tem efeitos práticos, já que o piloto já tinha sido desclassificado. A Citroen, entretanto, mostrou a sua estranheza pela decisão alegando que as peças são oriundas todas do mesmo fornecedor, escolhido pela FIA, e foi o desgaste da peça que levou à alteração dos valores constantes da ficha de homologação. Fonte da FIA reconhece esta situação e já revelou que deverão ser feitos ajustes que contemplem a dilatação dos materiais. A FIA decidiu não tomar qualquer outra atitude perante este caso, que termina aqui.

Publicado em Autosport

Leia Mais

domingo, abril 29

Excelentes corridas no Algarve

Chegou ao fim o primeiro evento oficial de corridas de 2012 no Autódromo Internacional do Algarve. O fim-de-semana foi recheado de provas disputadas com muitas lutas e onde os portugueses ocuparam um lugar de destaque. Depois das primeiras corridas ontem, hoje tiveram lugar as segundas mangas quer do GT Open e Campeonato de Espanha de GT quer da Formula 2 e Europeu de F3.

Depois da vitória de ontem no GT Open, Marco Holzer/Nick Tandy no Porsche 997 GT3 hoje voltaram a repetir a proeza com uma vantagem de mais de 17 segundos para os segundos classificados Raymond Narac/ Patrick Pilet também num Porsche GT3 e igualmente bastante distanciado do terceiro lugar que ficou reservado para Marco Mapelli/ Archie Hamilton também num Porsche 997 GT3. No Campeonato de Espanha de GT foram uma vez mais os portugueses estiveram em plano de evidência. Patrick Cunha/José Ramos no Lamborghini Gallardo voltaram a subir ao primeiro lugar do pódio seguidos de Manuel Gião/Carlos Vieira no Audi R8 LMS. Em terceiro ficaram Ferdinando Geri/ Giacomo Piccini num Porsche 911 GT3.

Na Fórmula 2 a história de ontem repetiu-se com o piloto inglês Luciano Bacheta a vencer e Matheo Tuscher a ficar novamente com o segundo lugar. No terceiro posto ficou desta feita Markus Pommer. No Europeu de F3 o vencedor foi desta vez Mans Grenhagen seguido de Gianmarco Raimondo em segundo e Niccolo Schiro em terceiro.

O próximo evento oficial no Autódromo do Algarve tem lugar a 2 e 3 de Junho com o WTCC, Campeonato do Mundo de Carros de Turismo onde corre o piloto português Tiago Monteiro.

pulicado em Sportmotores

Leia Mais

FLASH 4

Flash 4 - 29/04/2012
Sebastien Loeb/Daniel Elena - Citroen DS3 R3T
Vencedor do Rally da Argentina 2012 (70ª vitória da carreira)


Foto AIFA, publicada em PressXLNews

Leia Mais

sábado, abril 28

Porsche da Manthey vence primeira corrida do GT Open

Marco Holzer e Nicky Tandy venceram a primeira corrida do fim de semana do International GT Open em Portimão, aos comandos de um novo Porsche 911 GT3 RSR da equipa Manthey Racing.


Antes da partida, uma forte chuvada obriga a que todos os carros montem pneus para chuva, sendo o início igualmente efetuado atrás do safety car. No reinício da prova, Toni Vilander, autor da pole position com o Ferrari 458 Italia da AF Corse, tentou afastar-se dos seus mais diretos perseguidores, Philipp Peter e Raffaele Gianmaria, estes entretidos numa interessante batalha pelo segundo posto, ambos aos comandos de carros da marca italiana.

Eventualmente, o colega de equipa de Miguel Ramos no Ferrari da Black Team, passou para segundo. Com a pista a secar, Holzer aproximou-se deste duo de pilotos e, com as paragens nas boxes, acabou para saltar para o comando.

Com os regulamentos a não permitirem a mudança de pneus e a troca de pilotos em simultâneo, isso obrigou a estratégias diferentes, pese embora a opção da Manthey de fazer as duas operações em simultâneo e receber uma penalização de passagem pela via das boxes (o mesmo sucedendo com o Lamborghini da Goodsense de José Ramos e Patrick Cunha), algo que deu dividendos com o Porsche a ficar no comando.

Isto porque ao regressar à pista, Nicky Tandy contava com cerca de 40 segundos de vantagem sobre o segundo classificado, Michal Broniszewski (colega de equipa de Peter), vantagem que controlou até final – mesmo com a passagem pela via das boxes – para triunfar em Portimão, com 7,6 segundos de avanço sobre o Ferrari da Kessel.

Na terceira posição ficaram Stefano Bizzarri e Niki Cadei subiram ao lugar mais baixo do pódio, num outro Ferrari 458, além de serem os melhore na categoria GTS. Nesta classe, as duas posições seguintes ficaram para Marco Mapelli e Archie Hamilton, no Porsche da Autorlando, e para Daniel Zampieri e Michael Dalle Stelle, num Ferrari da Kessel.

Na quarta posição da Geral ficou o Porsche 997 GT3 RSR 2012 de Raymond Narac e Patrick Pilet, sendo seguido pelo melhor dos carros com portugueses na equipa, que foi o Ferrari de Miguel Ramos e Gianmaria, que terminaram em quinto.

No que diz respeito ao Campeonato Espanhol de GT/Iber GT, o triunfo foi para o Lamborghini da Goodsense de Ramos e Cunha, que ficou em sexto da Geral e na segunda posição entre os participantes do Iber GT. Na segunda posição entre os concorrentes do Campeonato Espanhol de GT ficou o Audi R8 do Team Novadriver com Manuel Gião e Carlos Vieira aos comandos, tendo este sido o 11º da geral, uma posição à frente do carro idêntico de César Campaniço e Mikko Eskelinen (terceiros nos GT Espanha).

Em 13º da Geral, ficou o Porsche da Drivex, dividido entre Miguel Amaral e Angel de Castro, sendo que o outro Lamborghini da Goodsense, de Pepe e Jorge Queiroz a ficar pelo 17º lugar. A prova contou ainda com um toque entre Rui Lapa, no Ford GT da Rodrive, e Andrea Montermini, num Ferrari, quando o italiano estava a efetuar a dobragem ao português, acabando por ditar o abandono do ex-piloto de Fórmula 1 e mais um atraso para o Ford

Publicado em Autosport

Leia Mais

Luciano Bacheta vence corrida da Fórmula 2 em Portimão

Luciano Bacheta venceu a primeira prova da Fórmula 2 no circuito de Portimão, tendo liderado desde o princípio mas sempre com a pressão de Matheo Tuscher. Autor da pole position no traçado algarvio, Bacheta manteve a posição na partida, abrindo uma vantagem em redor de um segundo para o seu mais direto perseguidor, Tuscher.


Este havia saltado para segundo logo após a partida, beneficiando do mau início de Markus Pommer, que partia da primeira linha ao lado de Bacheta, apenas para se ver passado não só por Tuscher, mas também por Kevin Mirocha (antigo piloto da Ocean na GP2 Series) e David Zhu.

Nas voltas finais, Tuscher intensificou a pressão sobre o comandante e conseguiu reduzir a diferença para Bacheta, cruzando a meta apenas 0,309s atrás do eventual vencedor. Na terceira posição ficou Mirocha, que fez uma corrida praticamente isolado, enquanto mais atrás verificou-se uma luta interessante entre Zhu e Pommer, embora este último tenha mesmo conseguido passar.

Christopher Zanella terminou em sexton após uma batalha mais intense com Mihai Marinescu, com este a não conseguir evitar um pião quando tentava a ultrapassagem na travagem para a primeira curva, caindo com isso para décimo. Alex Fontana foi o sétimo, na frente de Dino Zamparelli e Hector Hurst.

1. Luciano Bacheta, 22 laps
2. Mathéo Tuscher, +0.309s
3. Kevin Mirocha, +16.307s
4. Markus Pommer, +19.801s
5. David Zhu, +24.106s
6. Christopher Zanella, +27.176s
7. Alex Fontana, +37.164s
8. Dino Zamparelli, +40.965s
9. Hector Hurst, +40.965s
10. Mihai Marinescu, +41.366s
11. Victor Guerin, +42.260s
12. Mauro Calamia, +42.797s
13. Daniel McKenzie, +43.311s
14. Kourosh Khani, +43.703s
15. Plamen Kralev, +49.179s
16. Parthiva Sureshwaren, +50.177s
17. Max Snegirev, +1:00.114s

Publicado em Autosport

Leia Mais

sexta-feira, abril 27

GT Open - Algarve: Motores já roncam

O primeiro dia de competição do International GT Open no AIA começou com chuva mas nem isso impediu os carros de saírem das boxes para os primeiros roncos dos motores quer dos carros do GT Open, F2 ou F3. Várias sessões de treinos livres de preparação para o primeiro embate de amanhã nos treinos cronometrados.

Em destaque esteve o português Miguel Ramos que faz equipa com Raffaele Giammaria no GT Open ao assegurar o topo da tabela classificativa no primeiro treino livre com o Ferrari 458. No segundo treino foi a vez de Michael Broniszewski/Philipp Peter também num Ferrari 458 serem os mais rápidos.

Na Fórmula 2, o piloto inglês Luciano Bacheta foi o mais rápido no primeiro treino e Markus Pommer no segundo. No Europeu de Fórmula 3 realizaram-se três treinos livres com Mans Grenhagen a liderar o primeiro, Sam Dejonghe o segundo e Juan Carlos Sistos o terceiro.

Amanhã Sábado, terão lugar as sessões de qualificação a partir das 8.30h mas também as primeiras corridas dos três Campeonatos a partir das 13.45h.

Os bilhetes para o evento estão à venda na loja do AIA com 30% de desconto para os residentes em Portimão e Lagos.

publicado em Sportmotores

Leia Mais

Team Global Stadium “Tentar um bom resultado!”

O Campeonato de Portugal de Ralis 2L/2RM terá inicio este próximo fim-de-semana, com a realização do Rallye Targa Vieira do Minho, prova esta também pontuável para o Campeonato de Portugal de Ralis.

A prova em pisos de asfalto contará com a dupla Ricardo Marques e Paulo Marques que em 2012 voltam a apostar no Citroën Racing Trophy, contando com o competitivo C2 R2 Max.
A correr em “casa” o piloto de Vieira do Minho, pretende sobretudo fazer uma prova bastante concentrado de forma a garantir o melhor resultado possível, quer para o CPR 2Rodas, quer para a competição monomarca da Citroën.
Como nos refere o piloto “vamos como sempre dar o nosso melhor. O facto de correr na minha Cidade, dá-nos ainda mais motivação no nosso andamento, mas quero acima de tudo fazer uma prova concentrado, sem pressões para que tudo corra em pleno e consigamos sair desta prova já com um bom resultado para o Campeonato”.
Entre os Citroën a época vai ser ainda mais competitiva, pois deixou de haver a classificação distinta para os DS3 R3 e os C2 R2 Max, passando agora a haver apenas uma classificação final.
O Rally Targa Vieira do Minho arranca no sábado à noite com a especial citadina em Vieira do Minho, estando reservado para Domingo mais oito troços cronometrados. Os concorrentes fazem uma dupla passagem pelo troço de Serradela, sendo que pelos troços de Pepim/Guilhofrei e S. Pedro/Pinheiro, irão efetuar uma tripla passagem. O Pódio final da prova em pisos de asfalto está previsto para as 15h15 em Vieira do Minho.

press Nuno Pimenta

Leia Mais

FLASH 3

Flash 3 - 27/04/2012
Carlos Sainz/Antonio Boto - Ford Sierra Cosworth
7º Classificado do Rally da Corsega 1987


(Foto de Arquivo)

Leia Mais

quinta-feira, abril 26

Daniel Ribeiro: Essencialmente amealhar o máximo de pontos!

Depois da estreia no Rallye Vidreiro com Paulo Moreira, a MR Team prossegue a evolução do Opel Corsa OPC já neste próximo fim-de-semana com o Rallye do Targa – Vieira do Minho, onde a dupla Daniel Ribeiro/Jorge Carvalho estará a disputar a Taça de Portugal de Ralis.

O piloto de Fafe já teve um pequeno teste com o carro nos pisos de asfalto, onde o balanço é extremamente positivo. Como nos refere o mesmo “este primeiro contato foi muito produtivo. Consegui rodar em piso seco e húmido e deu para fazer umas grandes melhorias no carro em termos de setup. O carro já teve mais alguns melhoramentos desde o Rallye Vidreiro, mas para este Rallye vai ainda com a maioria das especificações como Gr. N.”

Apesar disso a equipa está bastante otimista e conta em fazer uma boa prova na prova do Targa Club. “Apesar de ainda irmos um pouco limitados, estamos confiantes com o carro. Para esta primeira prova o essencial será somar o máximo de pontos para o campeonato, apostando numa prova regular para ter a melhor aprendizagem do carro. Ao longo da época consoante a evolução do carro e da nossa adaptação com o mesmo, estamos confiantes que iremos ser bastantes competitivos, pois o Corsa OPC tem bastante potencial, más não nos podemos esquecer que é um carro totalmente novo, onde não há muitas referências, e onde todo o trabalho está a ser feito pela nossa equipa, sendo que há ainda muito a fazer nas próximas provas”, concluiu Daniel Ribeiro.

Daniel Ribeiro, como já referido, terá o experiente navegador Jorge Carvalho que assim além da presença no Open de Ralis, estará a disputar também a Taça de Portugal de Ralis.

A MR Team conta neste projeto com o apoio da Caetano Technik, BCA Portugal, ENI, Sópneus, Biodouro, Credibom, Leatronic, Irmscher, Tintauto, NSA Portugal, Grafite Serviços publicitários, Bompiso, Intermarché Fafe, Grupo Andromeda, DM higiene industrial, Moveis Carlos Alfredo, Wewood, Bompiso, Padaria Verinha e Hankook.

press NunoPimenta

Leia Mais

Pedro Silva defende liderança do Regional Nordeste

O Campeonato Regional Ralis Nordeste terá este fim-de-semana a sua quarta jornada, com a realização do Rallye do Targa – Vieira do Minho, prova em pisos de asfalto que será igualmente pontuável para o Campeonato Portugal de Ralis, Campeonato Portugal de Ralis 2l/2RM e ainda para a Taça de Portugal de Ralis.

Pedro Silva e Rui Ribeiro também estarão presentes pois esta é mais uma jornada importante do campeonato, já que a dupla lidera a competição, decorridas que estão já três provas.

Assim sendo a prova do Targa Clube terá como principal objetivo para a equipa de Guimarães, a de amealhar o máximo de pontos, de forma a defender a liderança da competição, onde reúnem já 15 pontos de vantagem sobre os segundo classificado.

Como nos refere o piloto vimaranense “o objectivo é rodar entre os primeiros lugares entre os 2 rodas motrizes e entre os 3 primeiros da geral do CRRND, de maneira a mantermos a liderança do campeonato e, de preferência, mantendo a diferença pontual para o segundo classificado.
O último rali não nos correu da melhor maneira, mas estamos apostados em dar a volta por cima e conseguir um bom resultado em Vieira do Minho”
.

Pedro Silva e Rui Ribeiro irão estar aos comandos do Citroën Saxo Gr. A que se tem mostrado muito competitivo e fiável, sobretudo com as ultimas evoluções introduzidas no inicio do presente ano.

O Rali do Targa arranca sábado à noite, com a super especial em Vieira do Minho. No Domingo disputa-se a dupla passagem pelo troço de Serradela, sendo que pelos troços de Pepim/Guilhofrei e S. Pedro/Pinheiro, os concorrentes irão efetuar uma tripla passagem. O Pódio final da prova em pisos de asfalto está previsto para as 15h15 em Vieira do Minho.

Press NunoPimenta

Leia Mais

Carlos Fernandes aposta na Taça de Portugal

Depois da excelente prestação no Desafio ModelStand 2011 onde acabaram por se sagrar vencedores, a equipa de Sintra Carlos Fernandes e Daniel Amaral irá dar mais um importante passo na evolução nos Ralis e em 2012 vão apostar na Taça de Portugal de Ralis, competição inserida no Campeonato de Portugal de Ralis, que arranca já este fim-de-semana com o Rallye Targa – Vieira do Minho.

A equipa estará presente nas cinco provas da Taça também com um novo carro, evoluindo do Peugeot 206 Gti do Troféu, para um bem mais competitivo Citroen C2 R2 Max, assistido pela Carreto 18.
A aposta nestas duas novidades deve-se sobretudo na aposta na evolução como piloto, pois como nos refere Carlos Fernandes “vamos para um campeonato que vai estar bastante competitivo, onde por norma os ralis são bem mais extensos ao que estávamos habituados no Open de Ralis. Além disso o C2 é um carro que nos permite ir muito mais além que o 206 Gti, permitindo também assim evoluir o meu progresso nos ralis, pois é sem duvida um carro mais competitivo
Quanto ao rali e à Taça em si Carlos Fernandes adianta ainda que “nesta primeira prova queremos essencialmente terminar. Já fizemos um pequeno teste com o carro, mas só no decorrer da prova iremos ter o verdadeiro contato com o mesmo, e só aí conseguiremos ter uma primeira noção das grandes diferenças em relação ao Peugeot. Vamos andar regular, temos muitos bons adversários, pelo que um lugar nos dez primeiros será já muito positivo. Depois consoante as provas vamos apostando na evolução e ir tentando alcançar cada vez melhores resultados”.
Carlos Fernandes terá novamente a seu lado o experiente Daniel Amaral, contando também agora com o forte apoio de três novos parceiros, a Kumho Tyres, a ENI e a Carreto 18. Além destes, este projeto conta ainda com o apoio da X2 advertising, USA Peças, Restaurante o Amaral, Pneuvita, Américo Silveste, Semeca, Decomotores, MCD Garcia, Sical, Lima – Carvão, Pequimil, e António Nunes.
O Rali do Targa arranca sábado à noite, com a super especial em Vieira do Minho. No Domingo disputa-se a dupla passagem pelo troço de Serradela, sendo que pelos troços de Pepim/Guilhofrei e S. Pedro/Pinheiro, os concorrentes irão efetuar uma tripla passagem. O Pódio final da prova em pisos de asfalto está previsto para as 15h15 em Vieira do Minho.

press NunoPimenta

Leia Mais

quarta-feira, abril 25

Rali Targa com 35 inscritos

Finalmente foi publicada a lista de inscritos do Rali Targa-Vieira do Minho. 35 concorrentes inscritos dispersos pelo Campeonato e 2Litros, Taça de Portugal e Regional.

CONSULTE A LISTA DE INSCRITOS

Leia Mais

segunda-feira, abril 23

Teodósio triunfa no Slalom Portimão Arena

Ricardo Teodósio voltou às vitórias nos slalons impondo o Citroën Saxo Kit Car no Portimão Arena. Desta vez Márcio Marreiros ficou pelo segundo posto.

O Clube Automóvel de Portimão levou para as imaediações da Arena de Portimão a segunda prova do Troféu de Slalons do Sul. Contando com um interessante conjunto de concorrentes, Teodósio e Marreiros não defraudaram as expectativas e para além do cronometro, também deram espetáculo aliado à diversão.
Ricardo Teodósio esteve sempre no comando, mas foi na terceira manga que obteve o seu melhor registo - 2:02,455. Consciente das qualidades do rival, Márcio Marreiros entrou mais comedido optando pelo espetáculo, no entanto, arriscou na última passagem, e retirou 7 segundos à 2ª passagem (11 à 1º) para ficar a 2,5 segundos do vencedor. Para além do lugar intermédio do pódio também venceu a classe V. Aproveitando a possibilidade de participar em diferentes viaturas, Ricardo Teodósio fechou o pódio, mas desta vez com o Mazda MX-5, demonstrando sempre grande capacidade de adaptação. No quarto posto surge Vasco Tintim, com o Citroën Saxo, venceu a classe II. Depois de um ausência prolongada, Bruno Alambre regressou aos slalons com o BMW 325I, e muito espetacular foi o 5º da geral e venceu a classe IV. Na geral, seguiram-se Mário Jorge e Philippe Vinois, ambos em Peugeot 205. Vítor Carolino obteve o 8º registo com o Mazda MX-5, na frente de Diogo Soares no Lancia Delta. Renato Leria em Ford Escort Cosworth fechou os 10 mais. João Monteiro no "velhinho" Toyota Starlet foi o melhor da classe I, e Ana Santos voltou a ser a melhor (e única) representante feminina, desta vez com o Escort Cosworth.

RESULTADOS VIA FACEBOOK (LUIS MESQUITA)


Foto ilustrativa publicada no facebook por Cláudio Francisco

Leia Mais

FLASH 2

Flash 2 - 23/04/2012
Giandomenico Basso/Mittia Dotta - Ford Fiesta S2000 1.6T RRC
Vencedores do Rally 1000 Miglia 2002


(Foto publicada em EWRC, de Petr Elias)

Leia Mais

domingo, abril 22

TT Ervideira: Miguel Barbosa vence com autoridade

A dupla Miguel Barbosa/Pedro Velosa garantiu a vitória no Ervideira Rali TT 2012, segunda prova do Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno, atingindo assim o objectivo a que se tinha proposto e que considerava obrigatório. Não experimentando qualquer problema com o seu Mitsubishi Racing Lancer e tirando partido da experiência de Pedro Velosa, ambos festejaram o sucesso no pódio final em Reguengos de Monsaraz. Aliás, esta foi a primeira vitória absoluta do seu novo navegador.

Trata-se de uma vitória muito importante a vários níveis, numa prova que foi muito difícil, pois o carro não estava perfeitamente adaptado a este mau piso, nomeadamente nesta segunda volta”, comentou Miguel Barbosa visivelmente satisfeito no final da prova, apontando idêntico propósito para a próxima jornada, o Rali TT Serras do Norte, a disputar em Junho. “De facto, começámos a dar a volta ao campeonato, depois do percalço no Algarve. De manhã construímos um bom avanço para que o pudéssemos gerir na secção da tarde e garantir a vitória”.

Quanto a este Ervideira Rali TT 2012 e após o tempo mais rápido de ontem na Super Especial, seguiu-se a primeira volta ao traçado a norte de Reguengos de Monsaraz, que o piloto da equipa BP Ultimate Vodafone Team cumpriu sem sobressaltos, garantindo uma vantagem confortável de 4m09s sobre Rui Sousa e de 6m13s sobre Hélder Oliveira, depois de alguns problemas terem atingido outros dos seus potenciais adversários.

A prova está a ser impecável, apesar do carro não estar muito eficaz em mau piso”, referia Miguel Barbosa, então a meio do dia de competição no Parque de Assistência, numa altura em que o seu Mitsubishi Racing Lancer recebia toda a atenção da sua equipa de mecânicos. “De qualquer modo não vou fazer nenhuma alteração significativa para a segunda volta. Vou gerir o avanço, tentar não furar e poupar a macânica nos locais mais duros, para conseguir o que nos propusemos alcançar, a vitória aqui na Ervideira”.

À tarde o piloto aplicava essas regras e limitou-se a gerir a vantagem, cedendo apenas algum tempo aos seus adversários, sem nunca colocar em perigo o seu resultado final. Garantia, assim, a tão ambicionada vitória, a primeira do ano da equipa e a sua sexta pessoal no palmares da prova da Sociedade Artística Reguenguense (um recorde), numa prova que considera “ser do meu agrado, que me dá sempre um prazer enorme de fazer e que conta com um percurso impecável. Destaco ainda a excelente dinâmica de promoção da organização e dos patrocinadores”.

Quanto a Hélder Oliveira, piloto que regressou este ano ao Nacional de TT, conseguiu na segunda passagem pelo troço de 145 quilómetros, depois de uma melhor adaptação à Nissan Navara, andar a um ritmo elevado, mesmo acima do do Campeão Nacional, que se limitava a controlar os andamentos dos perseguidores. Oliveira garantia o segundo lugar do pódio, deixando o mais baixo para Rui Sousa, mostrando que a Isuzu Proto já ultrapassou os problemas de fiabilidade que têm apoquentado toda a equipa da Prolama.

Para Hélder Oliveira, esta dupla estreia “primeira vez com esta pick-up e a primeira vez nesta prova desde que mudou de patrocinador até correu bem. Foi uma prova muito dura, em que estive sempre a adaptar-me e a aprender com a Nissan, pois fiz muito poucos testes. Gostei imenso da corrida e penso mesmo que se não fosse o furo de manhã o resultado poderia ter sido outro.”

Já Rui Sousa afirmou que esta “é mais uma participação esporádica para este ano, mas não poderia deixar de vir a uma corrida que gosto muito e onde sou muito bem recebido. O resultado foi bom, um pódio é sempre um pódio, mas ainda não foi desta que ganhei – única que ainda não venci – por isso para o ano estaremos cá outra vez para tentar vencer.”

Na categoria T2 a vitória sorriu a Nuno Tordo com uma Nissan Navara, depois de uma luta muito intensa com Edgar Condenso aos comandos de uma Isuzu D-Max. No terceiro lugar ficou João Cardoso em Nissan Navara. Entre os T8, foi Tiago Avelar o vencedor, aos comandos de um Nissan Lynx Proto.

Note-se que este Ervideira Rali TT também pontuou para o Desafio Total/Mazda, tendo conhecido vários líderes. Após João Rato ter vencido a Super Especial de ontem, também Miguel Paião e Pedro Barroco passaram pelo comando, enquanto na segunda metade da tabela as trocas de posições foram uma constante. No final seria João Rato a festejar a vitória entre os utilizadores das Mazda BT-50.

Classificação Final:
1º Miguel Barbosa/Pedro Velosa – Mitsubishi Racing Lancer - 3h56m11,3s
2º Helder Oliveira/José Marques – Nissan OffRoad - a 5m22,9s
3º Rui Sousa/Carlos Silva – Isuzu D-MAX - a 6m53,5s
4º Ricardo Porém/Manuel Porém – BOMCAR BMW Proto - a 21m32,1s
5º Paulo Ferreira/Jorge Monteiro – Nissan Navarra OffRoad - a 22m18,2s
6º José Dinis Lucas/Luis Tirano - Mitsubishi Pajero DID - a 23m07s
7º Chavigny Frederic/Brucy Jean - Proto Dessoude Atacama - a 30m52,5s
8º Nuno Tordo/Marco Santos - Nissan Navarra - a 46m31,2s
9º Tiago Avelar/Silva Santos - Nissan Lynx Proto - a 46m51,4s
10º Edgar Condenso/Nuno Silva - Isuzu D-Max - a 48m27,8s

publicado em Sportmotores

Nota adicional - André Amaral, que contou com a navegação do algarvio Nelson Ramos abandonou após CP1, no Proto X3.

Leia Mais

sábado, abril 21

Miguel Barbosa entra na frente no Ervideira TT

Campeão nacional foi o mais rápido nas duas passagens pela especial. Nelson Ramos, que navega André Amaral no Proto X3, está numa excelente 6º posto, depois ter feito um 7º e um 10º lugar nas duas passagens, a 17 segundos de Rui Sousa.

O actual campeão português de TT, Miguel Barbosa, entrou com o pé direito na segunda jornada da temporada ao vencer as duas passagens pela Super-Especial que abriu a competição para os automóveis. O piloto do Mitsubishi Racing Lancer demorou 9m02,35s a cumprir a totalidade do percurso e deixou Ricardo Porém, que foi o segundo mais rápido com o BMW Série 1 Proto, a 7,13s. Hélder Oliveira estreou-se ao volante de uma Nissan Navara e, apesar de não conhecer bem o carro, concluiu o primeiro dia no Ervideira Rali TT com o terceiro melhor tempo, a 21,91s de Barbosa.

Com a Adega Ervideira na Herdade da Vendinha, muito bem composta de público, o campeão nacional bateu a concorrência logo na primeira passagem. Contudo, não estava satisfeito com o carro e sentia que podia ter sido ainda mais competitivo. Na segunda passagem, Barbosa acertou com as afinações do Mitsubishi e voltou a vencer.

Ricardo Porém, por seu turno, estava muito satisfeito com a sua prestação em ambas as passagens pela Super-Especial, tal como Hélder Oliveira. Pelo contrário, Rui Sousa, que acabou em sexto, não tinha razões para celebrar pois teve mesmo de parar e reiniciar a electrónica pois o motor da sua Isuzu entrou em excesso de rotação. José Dinis Lucas também perdeu tempo na derradeira passagem pois o seu carro só funcionou em modo de segurança.

Na primeira volta, o carro fugia de frente. Era difícil colocá-lo nas curvas e isso era especialmente complicado porque o traçado é muito encadeado. Ainda assim, estou contente por ter ganho. Na segunda volta, já tinha mais precisão na direcção e consegui ser mais rápido. Agora vamos preparar-nos para amanhã que vai ser um grande dia”, afirmou Miguel Barbosa.

Ricardo Porém, por sua vez, limitou-se a dizer que: “Correu tudo bem. Foi óptimo. Gostei muito do meu ritmo.”

Hélder Oliveira, também estava muito satisfeito, principalmente porque nunca tinha guiado a Nissan Navara com que se inscreveu no Ervideira Rali TT. “A segunda volta foi bastante melhor. Estou a adaptar-me ao carro. Tem um motor brilhante mas não conhecia nada e estou em fase de aprendizagem”, disse o piloto de Barcelos.

Nuno Matos estava na luta pelos lugares do pódio, mas acabou por retardar a sua partida para a Super Especial 2 após um inesperado problema com a bomba de alta pressão do Astra Proto. Embora penalizado em 12 minutos, atual líder do Campeonato será o quarto carro a largar para a etapa de amanhã, num total de 300 km repartidos por dois Setores Seletivos

adaptado de TTVerde

Leia Mais

sexta-feira, abril 20

Rali de Beja cancelado

A informação avançada pelo RalisOnline vem confirmar os rumores que apontavam para o cancelamento da prova organizada pelo AeroClube de Beja. Ainda assim, não é certo que exista uma redução de provas do Campeonato Regional de Ralis do Sul, uma vez que há a possibilidade de se realizar uma prova no final da temporada, à semelhança do que aconteceu com o Rali de Ourique em 2008 e 2009.



ARTIGO ORIGINAL RALISONLINE
O Rali de Beja, previsto para o próximo mês de Maio, não se irá disputar. O Aero Clube de Beja tentou colocar a prova de pé (e ainda irá ter uma derradeira reunião para que a prova se realiza-se), mas com o tempo que falta para a data prevista tal já não será possível. O Aero Clube de Beja vai organizar o Rali de Serpa ainda este ano (Setembro), podendo ainda disputar uma segunda prova já no final da temporada.

Leia Mais

Lista (provisória) de inscritos do Portimão Arena

Fique a par da lista provisória de inscritos do Slalom de Portimão Arena, que se disputará no dia 22, próximo domingo. Márcio Marreiros em Mitsubishi Lancer e Ricardo Teodósio em Saxo Kit Car partilham o favoritismo.




informação publicada no site oficial do Clube Automóvel de Portimão

Leia Mais

quinta-feira, abril 19

Slalom de Portimão Arena no Domingo

Integrado nas comemorações do 25 de Abril, disputa-se no Domingo, a segunda prova do Troféu de Slalom do Sul. Desta vez a competição centra-se na Arena de Portimão, estando prevista a primeira manga para as 14:30. Está confirmada a presença de Ricardo Teodósio com o Citroën Saxo Kit Car.

REGULAMENTO DE PROVA

Leia Mais

terça-feira, abril 17

GT Open: AIA está a postos

A temporada de 2012 do Internacional GT Open arranca no Autódromo Internacional do Algarve nos próximos dias de 27 a 29 de Abril. Esta será a terceira vez que o Campeonato que este ano celebra sete anos de atividade vem a Portimão. Carros de Grande Turismo das categorias GT3 e GT2 pilotados por pilotos profissionais ou 'gentleman drivers' entram em pista para brilhar mas também para proporcionar corridas muito competitivas.

O Internacional GT Open é muitas vezes apelidado de Europeu de GT pois para além de Portugal visita países como Alemanha, Bélgica, Inglaterra, França, Hungria, Itália e Espanha. Em representação das cores nacionais, vai estar uma vez mais Miguel Ramos mas também a equipa portuguesa da ASM Team com António Coimbra e o McLaren MP4-12C GT3. Miguel Ramos faz equipa com Raffaele Giammaria num Ferrari 458 GT2. O piloto português já 'cantou' vitória em 2011 no AIA e prepara-se para repetir o feito. No entanto, tem adversários de peso muito bem equipados com máquinas tão variadas como Porsche, Aston Martin, Audi, Mercedes ou Ford.

Mas para além dos GT vão estar igualmente em pista os monolugares do Campeonato de Formula 2, do Europeu de F3 e do Challenge Desafio Único. A Formula 2 arrancou no passado fim-de-semana em Silverstone naquela que será a quarta temporada do Campeonato. Monolugares muito semelhantes aos Fórmula Um numa clara alusão a uma antecâmera da modalidade não tivessem sido os carros concebidos pela Williams F1. Os pilotos são jovens promessas do automobilismo mundial com aspirações à categoria máxima do desporto automóvel.

Um 'mix' que levará para a pista, nada mais nada menos, que 12 corridas. Mas as provas não serão apenas o principal motivo de atração. O AIA está a preparar ainda uma 'Lap Parade' que consiste na possibilidade de qualquer pessoa que tenha comprado bilhete 'paddock' poder, com o seu próprio carro, efetuar uma volta ao traçado de Portimão. Esta 'Lap Parade' está prevista para o dia de Sábado e Domingo em horário ainda a definir.

Os bilhetes encontram-se à venda na loja do AIA até ao dia 22 de Abril com 15% de desconto. Todos os residentes na Freguesia da Mexilhoeira Grande terão direito a entrada gratuita mediante a apresentação do Cartão do Cidadão ou Cartão de eleitor que comprove o recenseamento na freguesia.

publicado em Sportmotores

Leia Mais

Gago soma terceira vitória em três provas

Depois de ter iniciado o Desafio Modelstand em duas provas com piso seco, Diogo Gago e Jorge Carvalho encontraram no Rallye Vidreiro uma prova bem diferente, com as condições climatéricas muito instáveis a deixarem os troços de São Pedro de Moel com condições de aderência bastante deficitárias e onde um erro se poderia cometer com bastante facilidade.


Ciente do pouco conhecimento que tinha neste tipo de piso, o jovem algarvio não entrou tão bem em prova como desejaria.
"A prova foi muito difícil. Partimos com algumas cautelas devido às condições do piso e a falta de experiência no mesmo. Rapidamente percebi que não era nada fácil guiar e ao cometer alguns erros, fui perdendo alguma confiança. No entanto, para as segundas passagens optamos por fazer algumas alterações no carro e fomos ganhando maior conhecimento de como andar naquele difícil piso. Não andei sempre como gostaria de andar, mas a prova foi encarada como mais uma etapa do processo de evolução num carro novo, onde aprender continuar a ser o meu objectivo", começou por dizer Diogo Gago.

Mesmo não muito satisfeito com o seu andamento inicial, Diogo Gago e Jorge Carvalho assumiam-se uma vez mais como grandes protagonistas no Desafio Modelstand, rodando sempre no segundo posto a escassos segundos dos líderes, conforme confirmou o jovem piloto.
"A luta que foi travada com os nossos adversários não foi fácil, foi uma prova muitíssimo disputada, sempre separado por muito poucos segundos o que animou bastante a luta pela vitória", comentou o piloto apoiado pela Eni e Chaveca e Janeira.

Foi então que a prova entrou na sua fase decisiva, com a dupla passagem pela maior classificativa da prova e "as condições não eram fáceis e ao nível a que a prova estava a ser disputada, um erro mais fora do normal podia deitar tudo a perder, mas nós acreditávamos sempre que era possível alcançar a vitória. Eu e o Jorge (Carvalho) falámos antes do último troço e a aposta passou por atacar e andar como sabemos mas sem por em causa o resultado que tínhamos até então. Foi um último troço feito a fundo, sempre com uma vontade enorme de vencer e quando soubemos o resultado ficamos eufóricos", finalizou Diogo Gago, que na última especial foi catorze segundos mais rápidos que Gil Antunes, alcançando a terceira vitória consecutiva no Desafio Modelstand.

Após o Rallye Vidreiro, a dupla lidera o Desafio Modelstand, o Campeonato Júnior de Ralis e ocupa ainda um excelente terceiro lugar absoluto no Open. A próxima prova da dupla será o Rali do Targa/Serra da Freita dentro de um mês.

press SPORTSMULTUMEDIA

Leia Mais

FLASH 1

Flash 1 - 17/04/2012
António Coutinho / Jorge Nascimento - Rally do Algarve 1986

(Foto publicada em Ralisasul, cedida por Licinio Santos)

Leia Mais

segunda-feira, abril 16

Armindo Araújo com versão 01B no Rali da Grécia

Dave Wilcock, revelou que a Prodrive deverá ter pronto para o Rali da Grécia a versão 01B do Mini John Cooper WRC para Armindo Araújo, o que será uma boa ajuda para o piloto luso, já que o novo carro já contempla todas as evoluções que resolvem todos os problemas detetados durante o ano passado.

No Rali de Portugal o piloto português recebeu da Prodrive um carro completamente novo, o chassis 26, cuja única alteração face a provas anteriores eram uns novos amortecedores, que visavam melhorar a motricidade em pisos de baixa aderência. Pelo contrário, Dani Sordo, guiou o mesmo carro do Monte Carlo e Suécia, mas com as novas evoluções.

Mas afinal o que o MINI JCW WRC 01B tem de novo? No motor, o MINI passa a ter novas condutas de ar sob o capot e uma nova bomba de água elétrica. Combinados, dão um aumento de potência na ordem dos três por cento.

O conjunto de alterações na inclui um novo para-choques e lábio inferior na dianteira. Além de promover a entrada de mais ar fresco para a admissão, evita a entrada de terra pelo filtro de ar, impedindo a sua obstrução e sobreaquecimento do motor.

A FIA autorizou a substituição da bateria por uma de iões de lítio, 7 kg mais leve e de maior durabilidade, caso o alternador ou a sua correia cedam, chegando a sua autonomia aos 20 km em vez dos anteriores dois quilómetros.

Para além disso, o chassis conta com ligeiras alterações que visam a fiabilidade do MINI. Quer o motor, quer a carroçaria contam como novas tubagens para as cablagens. Foram melhorados diversos comandos no cockpit. A asa traseira do MINI JCW WRC é nova, e ainda que tenha o mesmo formato, é 10 kg mais leve. Tudo isto somado, “vale” tempo no cronómetro, como Dani Sordo já mostrou no Rali de Portugal, onde se viu um MINI claramente mais perto do andamento dos homens da frente. Tem agora a palavra Armindo Araújo, para a luta no “seu” campeonato.

Publicado em Autosport

Leia Mais

domingo, abril 15

Diogo Gago faz "hat-trick" no Modelstand

Num rali disputadíssimo e muito difícil, Diogo Gago / Jorge Carvalho venceram o Rali Vidreiro no Desafio Modelstand, somando o terceiro triunfo em três provas.


Apostado em contrariar o domínio de Diogo Gago no Desafio Modelstand, Gil Antunes empenhou-se muito neste Rali Vidreiro, ao ponto de ser o comandante da prova durante as primeiras cinco especiais de classificação.

Contudo, ao longo das seis especiais, Antunes e Gago foram vencendo de forma intercalada os troços, ficando tudo em aberto para o derradeiro troço. Apesar da menor experiência, mas com a garra da sua juventude, Diogo Gago andou forte no derradeiro troço e superou Gil Antunes, obtendo a terceira vitória da temporada.

De novo com um segundo lugar, Gil Antunes mantém toda a pressão sobre o jovem algarvio no Desafio Modelstand, e apesar desta competição ainda estar na fase de arranque sem dúvida que os dois pilotos assumem-se nesta altura como os principais candidatos à vitória.

Demonstrando a sua evolução ao volante do Peugeot 206, Salvador Gonzaga terminou no terceiro lugar isolado, embora tivesse travado uma excelente "batalha" com Pedro Fins, que teve a infelicidade de terminar o rali contra uma árvore na 4ª especial de classificação.

Também interessante de seguir foi a disputa entre João Castela e Nuno Coelho. Os dois pilotos andaram sempre muito próximos entre si, mas uma saída de estrada de Nuno Coelho viria a facilitar a vida a João Castela que terminava no 4º lugar.

Roberto Canha foi aproveitando sempre as enormes vicissitudes que se iam passando, subindo até ao 5º lugar, ficando na frente de João Ruivo que teve uma prova para esquecer, apesar de alguns excelentes cronos. Problemas de direção assistida e mais tarde com a panela de escape, ditaram um enorme atraso de Ruivo nesta prova.

Sérgio vaz também não escapou a diversos problemas no seu Peugeot 206, assim como Manuel Martins, que abandonou mesmo com problemas de caixa de velocidades.

"A incerteza quanto ao vencedor foi enorme e foi pena o problema de alguns outros pilotos, pois poderia ter sido uma rali ainda melhor. É uma surpresa a terceira vitória de Diogo Gago, que poucos poderiam vaticinar no início do ano, mas nada ainda está decidido, como já se provou noutras edições desta competição", afirma José Costa, promotor do Desafio Modelstand, acrescentando ainda que "colocar dois pilotos entre os sete primeiros do Open, quando existem muitos outros carros mais competitivos, prova que temos excelentes pilotos e um excelente carro".

CLASSIFICAÇÃO FINAL (provisória)
1º Diogo Gago / Jorge Carvalho 34m30,1s
2º Gil Antunes / Carlos Ramiro a 7,0s
3º Salvador Gonzaga / Paulo Lopes a 1m42,8s
4º João Castela / Ricardo Faria a 2m16,1s
5º Roberto Canha / Marcos Gonçalves a 3m04,6s
6º João Ruivo / João Peixoto a 3m42,2s
7º Sérgio Vaz / Bino Santos a 11m16,1s

publicado em RalisOnline

Leia Mais

sábado, abril 14

Martins no pódio e Gago vence Modelstand

Felizmente já começa a ser hábito as boas exibições destas duas duplas. Carlos Martins e Anibal Martins, desta feita com o seu Mitsubishi EVO 6 efetuaram uma excelente prova, vencendo a ultima especial e acabando no 3º posto a 0,4 segundos do 2º. Diogo Gago fez um tempo excepcional no ultimo troço, e foi buscar um Gil Antunes que até então tinha liderado o troféu Modelstand. O algarvio soma a 3ª vitória em outras tantas provas. Peres foi o vencedor e consolida a liderança do Open.

EXPERIÊNCIA DE PERES FOI DECISIVA

Com esquema muito simples de troços, o Rali Vidreiro teve emoção, drama e foi desportivamente muito interessante de seguir. Contudo, com os troços muitos molhados, devido à chuva que caiu, a experiência foi um posto e aí Fernando Peres levou a melhor.
O Rali Vidreiro, disputado na mata de São Pedro de Moel, já por si é uma prova difícil e algo perigosa. Com chuva tudo se torna mais complicado, pelo que a experiência acaba por dar os seus dividendos.

Fernando Peres esteve como peixe na água, recorrendo a toda a sua experiência para, em função dos acontecimentos, gerir esta prova. Atacou no início, colocando-se logo na frente, e assim que se viu isolado reduziu o andamento para vencer pela terceira vez esta temporada. A continuar assim, Peres caminha para o título.

Quem lhe deu mais luta nesta prova foi Diogo Salvi. Estava a fazer uma grande prova e chegou mesmo a ameaçar a liderança (por 0,9s). Só que a transmissão cedeu no arranque da 4º especial e a desistência foi inevitável.

Na luta pelos restantes lugares do pódio andaram diversos pilotos. João Barros sem qualquer experiência do rali e da condução à chuva com o Saxo Kit-Car, acabou por ser prudente, fazendo mesmo assim um brilhante segundo lugar, provando que é um dos nomes mais importantes do Open esta temporada.

Também em estreia neste rali, Carlos Martins esteve em grande nível, apesar de um pião que o fez perder muito tempo. Atacou fortíssimo no derradeiro troço, que venceu, e ficou no terceiro lugar a apenas 0,4s de Barros, com qualquer dos pilotos a fazer uma grande prova.

Luís Mota foi surpreendido na derradeiro troço, na prova em que voltou com o Lancer Evo VII. Depois de vários troços no 3º lugar, o piloto do Cartaxo deixou escapar o pódio após uma prova muito complicada.

Daniel Nunes tinha que terminar esta prova e terminou mesmo. O quinto lugar deve-se acima de tudo a ter feito mais de um troço e meio sem turbo (um tubo soltou-se) e perdido muito tempo para os primeiros, num rali em que poderia ter discutido o pódio.

Mais uma vez os pilotos do Desafio Modelstand mostraram a sua raça nesta prova. Diogo Gago fez um tempo canhão no derradeiro troço e surpreendeu Gil Antunes que tinha comandado durante a prova. Gago vence assim a terceira prova em três no Desafio Modelstand, com três segundos lugares de Gil Antunes.

O 8ª lugares de André Marques não representa o que o piloto poderia ter feito. Dois furos condicionaram muito a prestação do piloto de Leiria que depositiva nesta prova algumas esperanças de um bom resultado. Mesmo assim, o piloto continua a evoluir bem ao volante do 206 S1600.

Destaque ainda para a prova de Carlos Cruz, neste seu regresso aos ralis ao volante de um 206 RC, fazendo um 9º lugar, ficando na frente de Mário Barbosa no Saxo Kit-Car.

Artigo complementar publicado em Ralis Online

Leia Mais

sexta-feira, abril 13

Bruno Sá aposta no Regional Centro

A dupla Bruno Sá/Ricardo Batista estará á partida do Rallye Vidreiro, prova que marcará o arranque da temporada da equipa, que este ano apostará no Campeonato Regional de Ralis do Centro.


Para Bruno Sá “será o regresso à competição precisamente 1 ano após o último Rali Vidreiro onde rodámos nos primeiros lugares do Desafio Modelstand. Este é um rali de que gosto muito, apesar de alguma infelicidade nas últimas edições em que participei. Vamos partir sem qualquer objectivo desportivo, sempre com o intuito de nos divertirmos e ganhar ritmo para encarar as próximas provas do Regional Centro com mais à vontade. Este ano a escolha recaiu num Saxo Cup, em versão idêntica à do antigo troféu, e esperamos realizar uma prova descontraída e sem erros para no final atingirmos o pódio na Marinha Grande.
Para o navegador alenquerense Ricardo Batista, o Rallye Vidreiro “afigura-se como uma prova bastante interessante. Não é usual os espectadores poderem ver seis provas especiais de classificação sem saírem do mesmo local, algo que me parece ter sido uma fantástica aposta do Clube Automóvel da Marinha Grande”.
Já quanto aos objectivos, Ricardo Batista reconhece que “para esta prova o grande objectivo passará obrigatoriamente por terminar, uma vez que o rali vai ser o nosso primeiro teste, já que não corremos desde à precisamente um ano. Ainda assim, vamos procurar um bom resultado nas 2RM do Regional Centro, mesmo sabendo que vamos ter forte oposição por parte da concorrência”.

press SportsMultimedia

Leia Mais

ACB Racing regressa “a casa” para o Sical

O Rali Sical marca o regresso do Campeonato dos Açores de Ralis e da ACB Racing à ilha Terceira. Já na sua XXXI edição, a prova contará, mais uma vez, com a presença dos pilotos assistidos pela ACB Racing em busca dos melhores resultados que for possível alcançar.

Ricardo Carmo, apesar de não ter nada a provar a ninguém, quer mostrar no Sical o andamento que lhe permitiu ser o vice-campeão dos Açores em título. A ACB Racing reviu todo o carro e substitui as peças de desgaste necessárias para deixar o EVO IX em boa forma para a prova terceirense depois da prova mais exigente, em termos mecânicos, do calendário açoriano, o SATA Rallye Açores.
Ricardo Carmo, que voltará a contar com as notas de andamento ditadas por Jorge Diniz, considera que este “vai ser um rali muito competitivo, com vários pilotos a disporem de condições para lutar pelo pódio”. O piloto lembra que “cerca de metade dos concorrentes homologados utilizam viaturas 4x4. Como os troços não são novidade para ninguém, penso que, se o tempo se mantiver bom, todos andarão muito rápido, principalmente na parte da tarde, altura em que acredito se vão decidir as lutas do rali.
Luís Miguel Rego, piloto que também beneficia da estrutura de assistência da ACB Racing nas provas do Campeonato dos Açores, não esconde o objectivo de visar a segunda posição na prova terceirense, apesar de “respeitar muito os fortes adversários” que vai defrontar neste fim de semana.
Entre os participantes aos comandos de viaturas de duas rodas motrizes, destaque para Henrique Moniz e Pedro Machado que pretendem sair da Terceira no comando do agrupamento de Turismo, mesmo sabendo que é na Terceira que vão encontrar concorrência em maior número e com grande qualidade. Para tal, a vitória na categoria e um bom lugar à geral fazem parte dos objectivos dos jovens micaelenses
Nuno Cintra reedita com Miguel Soares a dupla que já esteve este ano no Rali Cidade da Praia da Vitória no Renault Clio Sport da Medicabulum Racing Team. Ainda a contas com a fase final de uma gripe que o atacou nos últimos dias, as ambições do piloto passam essencialmente por tirar prazer da condução desportiva e ir fazendo quilómetros e ganhando experiência com um carro que, recorde-se, não é um verdadeiro R3.
Apesar de estarmos ainda muito perto do início da temporada, a ACB Racing já marcou presença nas duas maiores provas dos ralis portugueses, o SATA Rallye Açores e, mais recentemente, o Rali de Portugal onde integrou a equipa de assistência de Miguel Barbosa, o actual líder do Campeonato de Portugal de Ralis. De regresso à Terceira, António Castelo Branco declara-se preparado para os desafios do Sical: “Vamos estar com quatro carros na estrada e temos tudo pronto para enfrentar este desafio com confiança”. O director técnico da estrutura terceirense lembra que “não são só os pilotos a beneficiar com a rodagem que advém de participações consecutivas e eu sinto que a ACB Racing está também em forma depois dos 4 ralis que já fizemos esta época”.

press ACB Racing

Leia Mais

MR Team inicia época no Rally Vidreiro

É já neste Sábado, no Rally Vidreiro que a MR Team irá estrear o novo Opel Corsa OPC. A viatura será conduzida por Paulo Moreira que contará nesta prova com a navegação de João Vieira e desta forma inicia a participação no Campeonato Open de Ralis de 2012.

Esta prova será abordada de uma forma muito cautelosa e servirá como um treino e preparação para as restantes provas do campeonato, uma vez que a viatura ficará pronta na véspera do rali.
O Opel Corsa OPC irá sofrer algumas evoluções ao nível de travões, motor e caixa para o próximo rali, o Rali Targa Vieira do Minho, com Daniel Ribeiro.

A MR Team irá participar no Open de Ralis com Paulo Moreira e na Taça de Portugal de Ralis com Daniel Ribeiro onde ambos partilham o Opel Corsa OPC.
A viatura foi montada pela Monteiros Racing Team e será assistida por esta mesma estrutura. Paulo Moreira e Daniel Ribeiro estão confiantes nas potencialidades do Opel Corsa OPC que, na sua máxima força, deverá disponibilizar 230 cv de potência às 6.000 rpm e 330 Nm de binário, suspensões Öhlins e travões AP.
A MR Team conta neste projeto com o apoio da Caetano Technik, BCA Portugal, ENI, Sópneus, Biodouro, Credibom, Leatronic, Irmscher, Tintauto, NSA Portugal, Grafite Serviços publicitários, Bompiso, Intermarché Fafe, Andromeda, DM higiene industrial e Moveis Carlos Alfredo.


press Nuno Pimenta

Leia Mais

Daniel Nunes com EVO VI mais evoluído

Depois de um inicio de época que começou bem, dois azares consecutivos, condicionaram um pouco a posição de Daniel Nunes e Daniel Amaral na luta pelo título no Campeonato Open de Ralis, que neste próximo sábado vai até S. Pedro de Moel com o Rallye Vidreiro.


Mesmo assim a equipa nunca baixou os braços e logo após o Rali Castelo Branco começaram a trabalhar afincadamente no Mitsubishi EVO VI que para a próxima prova em pisos de asfalto conta já com algumas melhorias, que irão tornar a rápida equipa ainda mais competitiva.

Como nos refere o piloto de Sintra “ Trabalhamos imenso no carro, voltamos a rever tudo e montamos muito material novo para que tudo esteja em pleno no Vidreiro. Vamos com algumas melhorias no carro, principalmente a nível de motor que nos permite ser ainda mais competitivos, mas temos que sobretudo recolher o máximo de pontos. Queremos fazer um bom rali, quer no Open, no Júnior e no Regional Centro e tentar recuperar os pontos perdidos das duas últimas provas. Vamos dar o nosso melhor e esperar que tudo corra bem”.

Daniel Nunes e Daniel Amaral já provaram ser uma das melhores equipas do Open de Ralis, sendo uma equipa que conjuga sempre da melhor forma um andamento rápido, com muito espectáculo à mistura. No Vidreiro, mesmo com muitos candidatos à vitória, são uns dos favoritos ao triunfo, sobretudo se contarmos com os pisos molhados.

O Rallye Vidreiro disputa-se apenas durante a tarde de sábado tendo as equipas que disputar uma dupla passagem pelos troços Marinha Grande, S. Pedro de Moel e Farol de São Pedro “100 anos”, o que totaliza 55,60 quilómetros em troços, e 142,34 no percurso total do rali.

press Nuno Pimenta

Leia Mais

SFR Motorsport candidata à vitória no ModelStand

Será em S. Pedro de Moel que terá palco a quarta ronda do Campeonato Open de Ralis, com mais uma edição do Rallye Vidreiro, prova em pisos de asfalto que estará sob a responsabilidade do Clube Automóvel da Marinha Grande.

A prova será também pontuável para o Desafio ModelStand, competição onde a SFR Motorsport conta com dois candidatos aos lugares do pódio, Gil Antunes/Carlos Ramiro e Pedro Fins/Sérgio Rocha.
Para Gil Antunes, o objectivo é mais uma vez lutar pelos três primeiros lugares do troféu, fazendo ainda um bom resultado entre os carros de duas rodas motrizes no Open. “Vamos apostar novamente num ritmo que nos permita andar nos três primeiros do desafio Modelstand. Os nossos principais adversários têm estado muito fortes e não tem sido fácil chegar à vitória, mas sabemos que temos tudo ao nosso alcance para garantir uma vitória. Este é um traçado que já temos algum conhecimento dos anos anteriores e na qual temos nos encaixado bem, pelo que acredito que vamos conseguir fazer um bom rali. As condições do tempo poderão influenciar muito os resultados do rali, já que os troços com “chuva” ficam bastante escorregadios e é fácil errar. Da nossa parte com chuva ou sem ela vamos bastante motivados”, afirmou o piloto de Sintra.

Pedro Fins e Sérgio Rocha estão também eles bastante confiantes num bom resultado depois do pódio obtido na última prova.
"Em Castelo Branco aprendemos muito sobre o carro e evoluímos bastante. Para nós esta segunda prova foi mais um teste do que propriamente um rali. Agora é altura de nos concentrarmos no que poderemos fazer em termos de resultados nestes dois últimos ralis de asfalto", explica Pedro Fins, adiantando ainda que "Este é um rali que gosto bastante, e onde poderemos estar mais á vontade. Vamos andar depressa e tentar lutar pelo primeiro lugar logo desde o início, mas se isso não for possível, um lugar nos três primeiros já seria um bom resultado. Ainda faltam muitos ralis, e também não queremos arriscar tudo nesta fase inicial."


O Rallye Vidreiro disputa-se apenas durante a tarde de sábado tendo as equipas que disputar uma dupla passagem pelos troços Marinha Grande, S. Pedro de Moel e Farol de São Pedro “100 anos”, o que totaliza 55,60 quilómetros em troços, e 142,34 no percurso total do rali.

Pilotos SFR Motorsport – Rallye Vidreiro:
Gil Antunes/Carlos Ramiro - Peugeot 206 Gti
Pedro Fins/Sérgio Rocha - Peugeot 206 Gti

press Nuno Pimenta

Leia Mais

Nuno Coelho “Um Lugar nos cinco primeiros do Troféu ”

Na Marinha Grande e em S. Pedro de Moel irá ter palco este próximo fim-de-semana a quarta ronda do Campeonato Open de Ralis e também a terceira jornada do Desafio ModelStand, na edição de 2012 do Rallye Vidreiro.


A prova em pisos de asfalto, será uma nova etapa para a dupla Nuno Coelho e Pedro Alves que arrancam com aspirações renovadas a ascender a um lugar nos cinco primeiros na competição monomarca.
Como nos refere o piloto “ Este inicio de época não tem sido fácil, onde temos tido alguns azares mecânicos com o carro que não nos permitiu andar como queríamos. No Vidreiro vamos com aspirações renovadas, sobretudo porque o carro foi recentemente alvo de uma revisão que acho que nos vai permitir andar ainda melhor e ser mais competitivos. A nossa meta é andar dentro dos cinco primeiros, mas acima de tudo queremos por um ponto final nos azares e fazer um bom rali para garantir o máximo pontos para o troféu”.
No Rallye Vidreiro Nuno Coelho e Pedro Alves irão estar inseridos na equipa Carlos Matos Competições, que são agora os responsáveis pelo suporte técnico do Peugeot 206 Gti no decorrer da temporada.
O Rallye Vidreiro terá um total de seis troços cronometrados, totalizando 142 quilómetros, dos quais 55.60 em troços cronometrados. O programa da prova terá uma dupla passagem pelos troços da Marinha Grande, S. Pedro Moel e Farol de S. Pedro. O pódio final está previsto para as 21h15 na Marinha Grande.

press Nuno Pimenta

Leia Mais

quinta-feira, abril 12

Luís Mota de EVO VII no Vidreiro

Após três jornadas do Campeonato Open de Ralis, a Competisport tem já agendado o regresso do seu Mitsubishi EVO VII para o Rallye Vidreiro, prova em pisos de asfalto que se irá desenrolar em S. Pedro de Moel.


A prova a cargo do Clube Automóvel da Marinha Grande, o Rallye Vidreiro, será essencialmente para a dupla Luís Mota e Alexandre Ramos como um teste pois será o primeiro desafio em competição deste que o 4x4 foi evoluído.
A Domingos Sport esteve estes últimos meses a evoluir o EVO, tornando-o minimamente competitivo para permitir ao piloto do Cartaxo lutar pela vitória no Open de ralis.
Para a equipa este primeiro rali o importante é rodar com o carro e ter umas primeiras noções das melhorias do mesmo, pois apenas ainda se efectuou um pequeno teste para os técnicos conseguir ter o melhor setup para os pisos de asfalto. De futuro a equipa irá utilizar este EVO VII em todas as provas de asfalto, ficando o EVO IV para as provas em pisos de terra.
Como nos refere Luís Mota “Vamos para o rali centrados em rodar com o carro, pois irá ter certamente reações totalmente diferentes às que tinha antes. Este é um rali onde costumamos ter sorte e onde já vencemos várias vezes, onde logicamente, se o carro nos permitir não colocamos de lado um bom resultado”.
Para a dupla que no momento ocupa a segunda posição do Open de Ralis, os seus objetivos fixam-se também no Regional Centro, onde a equipa venceu a primeira prova, o Rali de Castelo Branco, partindo assim para o Vidreiro na liderança do Campeonato.
O Rallye Vidreiro disputa-se apenas durante a tarde de sábado tendo as equipas que disputar uma dupla passagem pelos troços Marinha Grande, S. Pedro de Moel e Farol de São Pedro “100 anos”, o que totaliza 55,60 quilómetros em troços, e 142,34 no percurso total do rali.

press Nuno Pimenta

Leia Mais

«Salvador Gonzaga bastante motivado para o Vidreiro»

S. Pedro de Moel será palco da quarta ronda do Campeonato Open de Ralis e terceira do Desafio Modelstand, em mais uma edição do Rallye Vidreiro, prova a cargo do Clube Automóvel da Marinha Grande.


A prova em pisos de asfalto contará com a dupla Salvador Gonzaga e Paulo Lopes, que depois de uma grande exibição no Rali de Castelo Branco, que terminou com a conquista da quarta posição, partem ainda mais motivados no seu Peugeot 206 Gti para este próximo desafio nos pisos de asfalto.
A equipa tem conseguido fazer uma grande evolução nesta presente época, atingindo já o seu objectivo inicial de rodar entre os três primeiros da competição monomarca, sendo o próximo passo garantir nos pódios finais de cada rali essa posição.
Como nos salienta o piloto “Temos evoluído bastante, e no Vidreiro queremos estar ainda a um melhor nível. Vamos tentar andar nos três primeiros, sabemos que a tarefa não é fácil, mas vamos bastante motivados. Esperemos contar com o piso seco, pois no pinhal o asfalto molhado torna-se bastante difícil, e temos que rodar com bastantes cautelas pois os troços apresentam bastantes armadilhas”.
O Rallye Vidreiro terá um total de seis troços cronometrados, totalizando 142 quilómetros, dos quais 55.60 em troços cronometrados. O programa da prova terá uma dupla passagem pelos troços da Marinha Grande, S. Pedro Moel e Farol de S. Pedro. O pódio final está previsto para as 21h15 na Marinha Grande.


press Nuno Pimenta

Leia Mais

Gil Antunes “Fazer um bom resultado”

Será este próximo sábado que o Desafio ModelStand e o Campeonato Open de Ralis vão regressar à estrada, com a realização do Rallye Vidreiro, prova a cargo do Clube Automóvel da Marinha Grande.

Na prova em pisos de asfalto estará presente a dupla da SFR Motorsport, Gil Antunes e Carlos Ramiro que encaram esta nova etapa ainda com mais motivação para alcançar um bom resultado com o seu Peugeot 206 Gti.
A dupla de Sintra em duas provas já conseguiu dois pódios, e em S. Pedro do Moel o objectivo é mais uma vez lutar pelos três primeiros lugares do troféu, fazendo ainda um bom resultado entre os carros de duas rodas motrizes no Open.

Como nos salienta o piloto de Aruil, “Vamos apostar novamente num ritmo que nos permita andar nos três primeiros do desafio Modelstand. Os nossos principais adversários têm estado muito fortes e não tem sido fácil chegar à vitória, mas sabemos que temos tudo ao nosso alcance para garantir uma vitória. Este é um traçado que já temos algum conhecimento dos anos anteriores e na qual temos nos encaixado bem, pelo que acredito que vamos conseguir fazer um bom rali. As condições do tempo poderão influenciar muito os resultados do rali, já que os troços com “chuva” ficam bastante escorregadios e é fácil errar. Da nossa parte com chuva ou sem ela vamos bastante motivados”.

Gil Antunes apesar de já ter provado todo o seu valor tem apostado prova a prova em evoluir mais e além disso prestigiado e divulgado ainda mais a imagem da sua equipa e dos seus patrocinadores. Como nos adiantou ainda o piloto “temos tentado prova a prova melhorar ainda mais. Há sempre alguma coisa que podemos corrigir, mesmo até os mais pequenos pormenores quer no carro, quer no meu desempenho e do meu navegador, que todos juntos podem nos tornar ainda mais rápidos. Está época estamos a jogar sempre pelo seguro na luta pelo titulo na competição. Prova disso são as duas primeiras provas onde optamos por assegurar o segundo lutar, em vez de arriscar o tudo ou nada para chegar à vitória. Nas provas de asfalto que faltam queremos ainda tentar chegar ao primeiro lugar, para nas provas em pisos de terra, onde nos sentimos mais à vontade, fazer os possíveis para garantir o título”.

Na passada semana o piloto teve a testar com a SFR Motorsport, num teste que se revelou extremamente positivo, pois a equipa conseguiu evoluir em diversos sentidos, corrigindo algumas situações que permitem à equipa ter ainda uma melhor prestação na prova em pisos de asfalto.

O Rallye Vidreiro disputa-se apenas durante a tarde de sábado tendo as equipas que disputar uma dupla passagem pelos troços Marinha Grande, S. Pedro de Moel e Farol de São Pedro “100 anos”, o que totaliza 55,60 quilómetros em troços, e 142,34 no percurso total do rali.


press Nuno Pimenta

Leia Mais

A.Maia Sport - Rali Vidreiro. Um novo começo!

Depois da ausência da terceira prova do Campeonato Open de Ralis, a equipa A.MaiaSport, regressa agora no Rali Vidreiro novamente com as suas habituais duplas.

Júlio Maia, que será mais uma vez acompanhado por Alexandre Rodrigues a bordo do Peugeot 206 S1600, junta-se pela primeira vez este ano Manuel Martins e Rui Vilaça num novo Peugeot 206 Gti, para lutar pelos melhores lugares do Desafio Modelstand.

O jovem piloto da equipa começa aqui a sua temporada, quando o trofeu já vai na terceira prova, estreando também um novo Peugeot 206 Gti. Tal certamente não condicionará o piloto apoiado pelo Credito Agrícola, ”já que é uma prova que gosto bastante, onde já obtive bons resultados. Não podemos entrar em grande loucuras já que agora somos obrigados a pontuar em todas as provas até ao final do ano, o que nos obriga a ser rápidos e estar atentos aos nossos adversários de forma a gerir o andamento. O novo carro, num pequeno teste que efetuámos, pareceu muito bom e como é todo novo certamente não teremos de nos preocupar com a sua fiabilidade.

Na prova organizada pelo CAMG, Júlio Maia também já obteve boas exibições, e depois da ausência em Castelo Branco o piloto quer voltar a andar rápido tal como fez na primeira prova do ano. O piloto, apoiado pelos Lubrificantes Liqui Moly vai á Marinha Grande lutar pelos melhores lugares da Cat.1, onde apenas a possível aparição da chuva pode dificultar a tarefa. “Esta é uma prova do agrado de quase todos os pilotos e eu não sou exceção. É um traçado rápido mas técnico com muitas armadilhas e se chover tudo se vai complicar. No meio do pinhal o piso torna-se escorregadio e como rodei muito poucos quilómetros com o S1600 nessas condições não estarei a 100%, mas vou dar o meu melhor para não comprometer a chegada ao final do rali” comentou o piloto da A.MaiaSport.

Outra das novidades para esta prova prende-se com a nova parceria entre a equipa poveira e a Associação Dar-a-Sorrir, uma associação de carácter social onde são desenvolvidas várias iniciativas na ajuda de pessoas carentes e sem recursos financeiros.

Deste modo a equipa vai ao longo da época dispor de um bidão no parque de assistência onde todos os presentes poderão deixar as suas “Tampinhas”, um dos projetos da associação tem como objectivo impulsionar a reciclagem e a solidariedade na angariação e recolha de tampinhas junto a sociedade. Posteriormente estas tampinhas recolhidas serão vendidas, e os fundos revertidos para a aquisição de vários tipos de equipamentos destinados à deficientes com necessidades especiais; que estejam impossibilitados de os adquirir por não obterem recursos financeiros para tal.

Resta salientar que o Rali começa no Sábado de tarde acabando noite dentro com a disputa de uma classificativa noturna.

A equipa agradece o apoio de todas a empresas de que continuam a acreditar no nosso projecto onde destacamos a: LIQUI MOLY, CRÉDITO AGRICOLA, WACKER NEUSON, A.MAIA LDA, BAR MOINHOS AO VENTO, AUTO COSTA E POVOACAR entre outros.

press-release A.Maia Sport

Leia Mais

Gago e Martins rumam ao Vidreiro

Disputa-se no próximo fim de semana o Rali Vidreiro, quarta prova do Campeonato Open de Ralis. Entre os inscritos estão Diogo Gago, líder do Troféu Modelstand, e Carlos Martins que regressa com o Mitsubishi Lancer EVO VI.

LISTA DE INSCRITOS

Leia Mais

quarta-feira, abril 11

Gago em busca de mais pontos no Vidreiro

Diogo Gago e Jorge Carvalho vêm de duas vitórias nas duas primeiras provas do Desafio Modelstand, mas o objectivo da equipa passa por continuar a evoluir, procurando sair da Marinha Grande com pontos importantes para as contas da competição.

Sendo um dos estreantes no competitivo Desafio Modelstand, o jovem piloto algarvio faz um balanço sobre a sua experiência numa nova competição.
"Até ao momento e passadas duas provas do Desafio Modelstand só posso retirar boas impressões. O companheirismo, a competitividade forte que se tem sentido - e que muito está a contribuir para a minha evolução - são os pontos fundamentais e que muito boa imagem tem dado a este trofeu", começou por destacar o jovem piloto algarvio.

A transição do Troféu Fastbravo para o Desafio Modelstand foi o passo certo nesta fase da sua carreira, com o jovem piloto a confirmar a sua evolução enquanto piloto.
"De acordo com o trabalho que tenho estado a desenvolver, só posso estar contente. Tem sido um trabalho gradual, sem grandes objectivos para o trofeu, mas com muitos objectivos relativamente a evolução e ao futuro", continuou Diogo Gago.

Quanto ao Rallye Vidreiro, terceira prova do Desafio Modelstand, Diogo Gago revela que esta "não se adivinha como uma tarefa fácil, pois está prevista alguma chuva e para mim, caso não consiga realizar nenhum teste nesse tipo de condições, vou ter que o fazer em prova, caso as previsões estejam certas. Ainda estou a aprender o carro e então estou curioso para saber como ele se comportará. Os pontos são muito importantes para as contas do trofeu e vou para fazer o meu melhor, mas sem nunca por em causa a nossa prestação em prova", finalizou.

O Rallye Vidreiro vai para a estrada no próximo sábado dia 14 de Abril, sendo composto por seis provas especiais de classificação, a última delas já de noite no Pinhal de São Pedro de Moel, numa organização do Clube Automóvel da Marinha Grande. Esta é de resto uma prova terá o seu início às 14h40m, permitindo aos espectadores verem todas as provas especiais de classificação sem saírem do mesmo sitio.

Sports Multimédia

Leia Mais

Prova de drag racing no Kartódromo Internacional do Algarve

O Kartódromo Internacional do Algarve vai receber esta sexta-feira, 13, a partir das 21:00 horas, uma prova de arranques legais (drag racing), na primeira ocasião em que um evento desportivo do género se realiza na região.

Após o incidente que vitimou dois jovens no passado mês de abril, em Portimão, a 2ndSkin, que promove o evento automobilístico, entrou em conversações com a administração da Parkalgar, que se mostrou “sensibilizada para a situação e se prestou a ajudar na realização deste evento”.

As condições estão todas reunidas para o evento, tendo a pista 400 metros para os arranques cronometrados, seguidos de mais uma zona de travagem e imobilização com segurança para todos.

O espaço para os espetadores – a entrada custa 5 euros – que quiserem presenciar esta prova de arranques legais é amplo e com plena visibilidade da totalidade da pista. São esperadas várias centenas de visitantes, entre público e pilotos.

publicado em RegiaoSul

Leia Mais

Pedro Lança vence 2RM no Open-Rally de Portugal

Pedro Lança desta vez acompanhado por José Martins participou na prova do Open no Rally de Portugal 2012, levando o Citroen Saxo á vitória nas Duas Rodas Motrizes e ficou num brilhante Oitavo lugar da Classificação Geral.


"Fazer parte de uma prova destas, integrada na maior prova automobilística que se realiza em Portugal, é um motivo de orgulho e desde já agradeço aos meus patrocinadores a possibilidade de poder responder afirmativamente ao convite feito pelo ACP Motorsport. No dia dos reconhecimentos choveu bastante e antevia-se um rali muito difícil dadas as condições do terreno e também do nível da água das ribeiras que tínhamos que ultrapassar no dia da prova, e que de certa maneira dificultava ainda mais a nossa tarefa", começou por dizer Pedro Lança

Em jeito de crónica sobre a sua presença no Rally de Portugal, Pedro Lança adiantou que arrancou para este Rali "com o objectivo claro de andar o mais á frente possível. Fizemos um bom tempo logo no primeiro troço, apesar de não ter corrido a cem por cento. Mantivemos o ritmo forte ao longo de toda a prova e acabámos o rali com a vitória nas duas rodas motrizes e com um bom oitavo lugar na classificação geral, que dedico a todos os que directa ou indirectamente tornaram possível a minha presença nesta prova. Este foi um resultado que me deixou muito satisfeito, pois mais uma vez cumpri plenamente todos os objectivos a que me tinha proposto para esta prova", salientou ainda o piloto de Sines.

Numa prova com uma recheada lista de viaturas de tracção total, que representavam 25 dos 31 inscritos, Pedro Lança apostou no pequeno Citroen Saxo, que uma vez mais esteve á altura dos acontecimentos, mesmo num rali que era muito mais favorável aos carros mais potentes.
"O carro não teve o mínimo problema e aguentou bem a dureza da prova, à excepção da passagem pela Ribeira do Vascão, em que tínhamos que passar durante uns bons 200m dentro da ribeira, o que resultou a partir daí de alguma falta de rendimento do motor. Apesar desse contratempo, sinto-me duplamente satisfeito, quer pelo resultado final quer por todo o trabalho feito no carro, que se mostrou sempre em excelentes condições. Mostramos mais uma vez que com um carro inferior, mas bem preparado conseguimos fazer bons resultados.", comentou Pedro Lança, que considerou ainda "os troços espectaculares. Diverti-me imenso e consegui também divertir o muito público presente que puxavam bastante pelo pequeno Citroen Saxo e desta forma consegui dar o melhor destaque aos meus patrocinadores".

Após a sua presença no Rally de Portugal, o piloto ainda não tem um programa de provas definido, pois espera a resposta de alguns patrocinadores para confirmar a sua presença em "pelo menos duas provas do regional Sul de Ralis, dado ainda não ter o budget completo para este ano. Resta-me continuar á procura de apoios que viabilizem a minha época desportiva com condições de lutar pelos melhores lugares nos ralis em que vier a participar".

press Sports Multimédia

Leia Mais

segunda-feira, abril 9

Rally de Portugal - 5 Coisas a Reter.

A edição do Vodafone Rally de Portugal de 2012 foi uma das provas mais dramáticas e inesquecíveis na história recente do Campeonato do Mundo de Ralis .Fique a par de cinco factos que marcaram a ronda portuguesa.

1: Sebastien Loeb é Humano
Sim, o octacampeão mundial fez um erro. Mais precisamente, teve um equívoco na interpretação. O ponto de travagem foi correto, a velocidade era ideal e a nota estava certa. A curva, no entanto, era para a direita...

2: Jari-Matti Latvala está muito vulnerável
O finlandês não considera o deslize em Portugal como um acidente, mas existem dois factos inegáveis - ele estava a liderar a prova e o carro acabou onde não devia: fora de estrada.

3: A História pode ser escrita quando menos se espera
Quem diria, antes do rali começar, que Mads Ostberg se iria tornar o primeiro piloto privado a vencer um rali do campeonato do Mundo desde 1993, quando Gianfranco Cunico venceu o Rally de Sanremo.

4: O MINI está mais rápido
A surpreendente vitória de Dani Sordo na Power Stage, a que se juntam outros cinco melhores registos em especiais, é a prova que as últimas evoluções do Mini o tornam mais competitivo, e que a Prodrive está no bom caminho.

5: Os ralis podem ser muito injustos
Yazeed Al Rajhi liderava confortavelmente o SWRC, com mais de 10 minutos de vantagem, quando abandonou no último dia com problemas de suspensão no Fiesta RRC.

traduzido de WRC

Leia Mais

domingo, abril 8

Citroen pode ser alvo de mais penalizações

Na sequência da desclassificação de Mikko Hirvonen do Voafone Rali de Portugal, e posterior retirada do apelo por parte da Citroen Racing, a equipa francesa arrisca uma posterior penalização já que a FIA, depois de encerrar o assunto face à questão da embraiagem, pode ainda ser castigada devido à ilegalidade no turbo.


Foi detetada uma medida ilegal no diâmetro da turbina, e apesar da equipa e do fabricante já terem vindo a público dizer que isso se deveu a deformação do material devido ao calor, fonte da Ford revelou que apesar de haver um fornecedor comum, a Garrett, existem dúvidas quanto às peças fornecidas.

O Departamento Técnico da FIA vai analisar a questão, e daí podem surgir mais penalizações, dependendo do que eventualmente possa ter acontecido com a peça. A única coisa que é um facto, de momento, é que esta não tem as medidas da ficha de homologação, agora se algo foi feito para as alterar ou isso se deveu somente a sobreaquecimento ou outras razões explicáveis, só mais tarde se saberá.

Publicado em Autosport

Leia Mais

sexta-feira, abril 6

Marco Ferreira estreou-se no Rally de Portugal

Uma semana depois do arranque do Regional Sul de Ralis, Marco Ferreira marcou presença no Rally de Portugal, uma prova do Campeonato Mundial de Ralis e que serviu para que o piloto de Santiago do Cacém continuasse a preparar da melhor forma as restantes provas do Campeonato.


"Apesar de tudo considero que o objectivo foi cumprido, pois conseguimos terminar e fizemos mais quilómetros com o carro. Entrámos para Almodôvar com um ritmo cauteloso, onde procurámos não cometer erros, e concluímos a primeira especial com o 16º tempo à geral, o que é muito bom para o pequeno Citroën Saxo.
Contávamos que nas especiais seguintes as coisas corressem da mesma forma, mas não foi isso que aconteceu. Após a passagem pela primeira ribeira do Vascão, o motor começou a falhar tivemos que parar um ou dois minutos. Retomámos o troço, mas fomos obrigados a parar poucos quilómetros depois devido a problemas eléctricos. O carro arrancava, mas parava logo de seguida, situação que se repetiu várias vezes. Não nos demos por vencidos, e depois de quase quinze minutos parados a tentar resolver o problema - o interruptor da ignição avariado - conseguimos voltar à estrada e terminámos o troço. Depois, arrancámos para Loulé algo frustrados, e adoptámos uma toada ainda mais calma, pois pretendíamos terminar a prova, e sabíamos que este último troço era muito duro. Podíamos estar mais contentes, mas cumprimos o objectivo principal
", começou por dizer Marco Ferreira, que nesta prova teve Bruno Portugal como seu navegador.

Sobre os ensinamentos que o Rally de Portugal lhe deu, Marco Ferreira admite que "os troços são claramente diferentes dos que compõem o Regional, principalmente em termos de extensão, e estes quilómetros serviram para perceber melhor o carro e ganhar mais experiência. Este rali foi um desafio enorme para mim, pois era muito técnico, o que aumentou o grau de dificuldade em termos caracterização do terreno para tirar notas e, obviamente, também em termos de condução. De facto, esta prova deu-me mais estofo para conseguir andar um pouco mais rápido nos próximos ralis. Penso que este Rally de Portugal foi um grande ensinamento a vários níveis e uma excelente montra para a divulgação do nome dos meus patrocinadores".

Marco Ferreira vai regressar à competição dentro de um mês, precisamente nos dias 19 e 20 de Maio, aquando da realização do Rali organizado pelo Aeroclube de Beja, segunda prova do Campeonato Regional de Ralis Sul.

press SportsMultimédia

Leia Mais